Entenda o que é procrastinar e confira estratégias para evitar este comportamento

Ao fundo da imagem uma jovem sentada em frente a um computador, com uma expressão de desânimo no rosto, refletindo sobre procrastinação. Na frente do banner, um um texto "O que é procrastinar? Descubra sem firula"

Entender o que é procrastinar é importante para conseguir enfrentar este problema que afeta a vida de tantas pessoas.

De acordo com a Associação Americana de Psicologia, 20% das pessoas são procrastinadores crônicos. Além disso, 50% das pessoas procrastinam aqui mesmo, na internet. Se identificou?

O fato é que, em algum momento, todo mundo acaba deixando algo para depois, seja marcar uma consulta no dentista, finalizar um relatório do trabalho ou até dormir mais tarde do que deveria ou gostaria. 

Banner com frase do Blog Post - O que é procrastinar. Um homem usando óculos, concentrado em um celular, enquanto no canto esquerdo da imagem, uma frase diz: "50% das pessoas procrastinam aqui mesmo, na internet".

No entanto, alguns acabam se tornando reféns da procrastinação e entrando em um looping que afeta a produtividade. Assim, não conseguem dar conta de todas as tarefas e compromissos porque estão sempre adiando tudo o que precisam fazer. Parece perigoso, não é mesmo?

Para entender melhor o que é procrastinar, seus efeitos negativos e até como evitar este comportamento em um dia a dia repleto de distrações, vem comigo. Pegue uma água ou um café, tire os sapatos e aproveite esta leitura!

O que é procrastinar?

Sem firulas, procrastinar é deixar para depois algo que deveria estar sendo feito agora.

Não se assuste: estudos apontam que uma em cada cinco pessoas se enquadra em uma classificação de procrastinadoras crônicas.

Além disso, dados do Google Trends revelam também que as buscas pela palavra “procrastinação” entre os brasileiros subiram 90% nos últimos cinco anos. Será que isso significa que as pessoas estão mais preocupadas com este comportamento?

O fato é que todo mundo procrastina em maior ou menor grau, portanto, não se sinta mal se você também adia algumas tarefas. Inclusive, eu também procrastino e é isso o que me permite ajudar as pessoas nesse âmbito. 

Anos estudando e compreendendo como funciona o looping da procrastinação me permitem auxiliar quem sofre com este problema. Afinal, postergar as suas atividades em excesso pode ser nocivo para a sua qualidade de vida e a produtividade.

O que causa a procrastinação?

Existem várias causas para o ato de procrastinar.

Uma delas acontece quando você não consegue alinhar a sua quantidade de energia com o tamanho percebido da tarefa que precisa ser executada à sua frente.

Eu explico:

Vamos supor que você precise fazer um relatório anual para entregar para o seu chefe. Para finalizá-lo, é necessário estar com disposição e muito focado, no entanto, você opta por se dedicar à tarefa no período da noite, quando já está com a sua “quantidade de energia” bem baixa.

Sabe o que vai acontecer? Provavelmente você vai procrastinar, pois a tarefa à sua frente é muito grande e a energia que você tem naquele momento não é o suficiente para vencê-la. Deixar para depois, portanto, se torna uma opção muito atrativa, percebe?

Além de ter esse conhecimento básico sobre o seu cronotipo, ou seja, se você é mais matutino, vespertino ou noturno, também é recomendado quebrar uma grande tarefa em pequenas tarefas para que doses menores de energia sejam dedicadas a cada uma delas.

Voltando ao exemplo do relatório anual, a dica aqui é fragmentar a tarefa em etapas menores para facilitar a execução. A grande meta seria começar o relatório, certo? A quebra, portanto, seria começar apenas fazendo o relatório do primeiro mês.

Inclusive, a técnica OPE (Organizar, Planejar e Executar) – que eu ensino em detalhes no treinamento Vida Produtiva pode ajudar bastante aqui, principalmente para quem tem um perfil planejador e precisa facilitar a execução. 

Vamos supor que o material bruto para o relatório esteja nos seus e-mails. Assim que forem enviados ou recebidos, você pode colocá-los na pasta específica do relatório para que, na hora de executá-lo, seja possível encontrá-los em um único lugar. Em seguida, basta ler um por um e separar em categorias para, posteriormente, dividi-los em assuntos. 

Assim, na hora de escrever o relatório de fato, basta buscar as informações que já estão todas organizadas. Percebe como o planejamento faz uma enorme diferença na execução?

Quais são os efeitos negativos de procrastinar?

Se estamos falando sobre o que é procrastinar, não podemos deixar de expor as consequências desse comportamento em todas as esferas da vida de uma pessoa.

Conforme você aprendeu ao longo deste artigo, todas as pessoas postergam algumas tarefas no dia a dia, mas é preciso analisar se a procrastinação não está gerando prejuízos para a sua qualidade de vida como um todo.

Os principais efeitos negativos são:

  • Sentimento de culpa: apesar de deixar algo para depois proporcionar uma espécie de prazer espontâneo, a longo prazo você convive com a culpa por não estar fazendo nada;
  • Sensação de estar sobrecarregado: você chega ao final do dia sentindo que não conseguiu fazer nem metade das coisas que precisava;
  • Improdutividade: ao deixar algo para depois, significa que você não está se planejando para executar as suas atividades e, portanto, está sendo improdutivo;
  • Desequilíbrio: quando a procrastinação é excessiva, o mais comum é que a sua vida se desequilibre por precisar trabalhar dobrado para fazer tudo o que ficou acumulado;
  • Ansiedade: é o sentimento de que você não está dando conta porque as tarefas foram se acumulando, o que naturalmente gera ansiedade.

Percebe como os efeitos podem gerar prejuízos para a sua vida, a saúde mental e o bem-estar como um todo? Por isso, é preciso ficar atento aos sinais de que algo não vai bem.

O perfil e os comportamentos típicos de um procrastinador

Quando o assunto é procrastinação, costumo separar as pessoas em dois perfis principais: os planejadores e executores.

O executor é aquele que quer sair fazendo tudo sem antes planejar e organizar as tarefas. É uma pessoa que acredita que planejar é perda de tempo, não enxergando que, na realidade, essa etapa faz parte da execução em si.

Já o planejador é quem foca apenas no planejamento e, por isso, acaba enfrentando maiores dificuldades para executar, o que pode levar à procrastinação com maior facilidade.

O executor, portanto, começa, mas não termina as coisas. O planejador, por sua vez, nem inicia as tarefas. Com qual desses perfis você mais se identifica, planejador ou executor? Ou será que você tem características de ambos, sendo como eu, um planejador-executor?

Ter conhecimento sobre qual é o seu perfil produtivo é importante para entender como você age e pensa e, então, como esses comportamentos são capazes de interferir na sua produtividade. Lembrando que um perfil produtivo não é melhor do que o outro e, em ambos os casos, é possível estudar e aprimorar os pontos negativos para evitar sucumbir à procrastinação.

Como não procrastinar em meio a tanta distração?

Se você está lendo esse artigo e não tem certeza se tende a procrastinar ou não, veja se a imagem abaixo lhe representa de alguma forma:

Rodrigo, usando óculos, está com as duas mãos na cabeça, parecendo desesperado. Ao redor dele, ícones ilustram as tentações da procrastinação: 'Primeira tarefa importante, mas antes um café, olhadinha no Whatsapp, Notificações do Instagram, Lida rápida nas notícias, agora vou começar, colega do lado falou comigo, assistir um vídeo no YouTube, TAREFA NÃO REALIZADA, repete. Esse é o dia do procrastinador.

Sem uma rotina e planejamento, mais coisas podem surgir nesse ciclo – Fonte: Rodrigo Barreto

Olhando para ele paramos para analisar se realmente estamos cada vez mais distraídos. Segundo o professor Larry Rossen, da Universidade Estadual da Califórnia, atualmente, nossa concentração média está oscilando entre 3 e 5 minutos. Depois desse tempo perdemos a atenção  — seja no estudo ou no trabalho. 

A maioria das distrações vem do campo tecnológico. Esse comportamento pode gerar o efeito bola de neve da imagem acima e nos levar a perder prazos e atrasar projetos, além de ficarmos ainda mais ansiosos

Dessa forma, vamos adiando ações e entramos em estado de procrastinação, afetando a nossa produtividade. Mas algumas reflexões sobre o assunto podem nos auxiliar a melhorar certos hábitos. 

Procrastinar: o vício dos smartphones

Já parou para notar quantas vezes por dia você olha e interage com o seu celular ou outras tecnologias? 

Entre 2017 e 2018, li uma reportagem que falava sobre isso e me desafiei a contar a quantidade de vezes que mexia no celular durante o dia. Eu fiquei de boca aberta antes mesmo de dar meio dia quando percebi que havia mexido nele mais de 60 vezes.

Um levantamento feito pela consultoria inglesa Tecmark mostra que as pessoas pegam em média 221 vezes por dia só nos smartphones. Já o número de toques diários no aparelho pode chegar a 2.600, segundo a empresa de pesquisa Dscout Research.

Muita gente tem noção do vício em smartphone, mas não consegue quantificar. Se transformarmos ações subjetivas em objetivas podemos controlar melhor nossas práticas.

Por isso, limite o horário de uso e lembre-se: a tecnologia deve facilitar a nossa vida, e se isso não está acontecendo é porque estamos fazendo o uso equivocado.

Não é porque você olha seu smartphone que é um procrastinador

Não há nada de errado em ficar uma hora no celular — desde que isso seja feito de forma consciente, sem sentimento de culpa. Isso vale não apenas em relação aos smartphones, mas para qualquer outra atividade que não seja o seu trabalho.

Vivo reforçando a importância e necessidade de descompressão. Quem me acompanha no Instagram, por exemplo, sabe que durante o meu dia tenho momentos de descompressão com meu filho e não há problema nisso.

Sentado com meu filho Lucas no colo, lendo o livro "O Pequeno Príncipe"

Ter momentos como Lucas ao longo do dia fortalece minha relação com ele e me permite voltar ao trabalho com ainda mais foco – Fonte: Acervo Pessoal Rodrigo Barreto

Pode não parecer, mas a procrastinação é uma área de conforto. A sensação de incômodo surge porque sabemos que o impacto será negativo, mas na realidade, naquele momento, o procrastinador tem uma impressão de bem-estar.

Se você souber planejar seu tempo e entender que em algum momento do dia você pode sim mexer no celular, assistir a uma série ou fazer algo que goste, pode ter certeza que sua produtividade aumentará.

4 dicas que também podem lhe ajudar a ser mais produtivo e procrastinar menos

  1. Divida o trabalho/estudo em pequenas tarefas: se você cria etapas fica mais fácil visualizar o progresso do trabalho, evitando a sobrecarga. Você pode ainda pensar em recompensas para cada fase concluída. Extra:  deixe as partes mais complexas para o horário em que se considera mais produtivo.
  2. Tire os alertas e sons dos aparelhos: muitas vezes estamos concentrados e um simples alerta de mensagem ou e-mail atrapalha o nosso foco. Deixe o ambiente de trabalho com o mínimo de distrações possível. Escolha momentos específicos para verificar essas mensagens.
  3. Use aplicativos, sim, mas com cautela: há aplicativos que te ajudam a organizar as atividades do dia-a-dia, seja com agendas e listas, ou bloqueadores de aplicativos. Existem ainda opções para controlar o tempo que você passa no celular. Já falei sobre alguns apps aqui.
  4. Evite fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo: muitas vezes nos vemos ocupados com mais de uma atividade e acabamos sem sair do lugar! Quanto mais informações, menos capacidade de concentração. Ser uma pessoa multitarefa pode atrasar nossos planos, por isso precisamos organizar bem a nossa rotina, determinando metas e listando prioridades.

Não deixe que seu cérebro fique acostumado com “depois eu termino” ou “é só uma olhadinha”. Tenha controle do seu tempo e saiba parar nas horas certas para ter mais produtividade e qualidade de vida.

Mitos e equívocos comuns sobre o que é procrastinação

Um dos maiores mitos nos quais você pode acreditar é que há um jeito de não procrastinar. A realidade é que não há.

Você pode reduzir, neutralizar ou encontrar uma forma de lidar, mas não se trata de algo que seja possível eliminar na raiz. Infelizmente, o ato de procrastinar vai voltar de tempos em tempos. 

O fato é que, por mais que você deixe as coisas para depois, precisam existir saídas, como entender a sua quantidade de energia versus o tamanho da atividade a ser executada ou quebrar a tarefa em doses menores.

Lembrando, é claro, que existe também a procrastinação relacionada a decisões maiores sem um prazo necessariamente definido, por exemplo, mudar de carreira ou terminar um relacionamento. Nesses casos, a causa do problema pode ser algo muito mais complexo que você está tentando evitar e, aqui, o autoconhecimento também é fundamental para sair desse looping.

Aprenda a dominar a procrastinação

Que tal continuar aprendendo sobre como driblar a procrastinação?

A Comunidade Rotina Produtiva é ideal para você se aprofundar em uma metodologia que irá te ajudar a construir uma rotina que favoreça o seu equilíbrio de vida e a organização, contribuindo para que você deixe de procrastinar o máximo possível.

Ao lado de outros participantes da comunidade, você tem acesso a uma área de membros com ferramentas e tutoriais para aplicar o “Método Produtividade Consciente”, que eu mesmo desenvolvi e utilizo em minha própria vida.

Inscreva-se agora mesmo na Comunidade Rotina Produtiva para sentir a diferença e começar a conciliar todas as suas responsabilidades da vida pessoal e profissional sem se sentir sobrecarregado. Clique aqui e saiba mais!