Como não procrastinar em meio a tanta distração?

Esta tem sido uma das maiores dúvidas e desafios das pessoas ultimamente. Se antes alguns profissionais já tinham dificuldade em manter o foco e não procrastinar, com a pandemia isso só aumentou.

Se você está lendo esse artigo e não tem certeza se tende a procrastinar ou não, veja se a imagem abaixo lhe representa de alguma forma:

 O que é procrastinar? começa uma atividade, checa os e-mails, toma um café, vai ao banheiro, olha as redes sociais, percebe o tempo que passou, repete.

Sem uma rotina e planejamento, mais coisas podem surgir nesse ciclo – Fonte: Rodrigo Barreto

Olhando para ele paramos para analisar se realmente estamos cada vez mais distraídos. Segundo o professor Larry Rossen, da Universidade Estadual da Califórnia, atualmente, nossa concentração média está oscilando entre 3 e 5 minutos. Depois desse tempo perdemos a atenção  — seja no estudo ou no trabalho. 

A maioria das distrações vem do campo tecnológico. Esse comportamento pode gerar o efeito bola de neve da imagem acima e nos levar a perder prazos e atrasar projetos, além de ficarmos ainda mais ansiosos

Dessa forma, vamos adiando ações e entramos em estado de procrastinação, afetando a nossa produtividade

"A nossa mente é como a lente de uma câmera que precisa ajustar o foco; a cada mudança de atividade um novo ajuste é necessário e isso consome energia mental e tempo."

Mas algumas reflexões sobre o assunto podem nos auxiliar a melhorar certos hábitos. 

Procrastinar: O vício dos smartphones

Já parou para notar quantas vezes por dia você olha e interage com o seu celular ou outras tecnologias? 

Entre 2017 e 2018, li uma reportagem que falava sobre isso e me desafiei a contar a quantidade de vezes que mexia no celular durante o dia. Eu fiquei de boca aberta antes mesmo de dar meio dia quando percebi que havia mexido nele mais de 60 vezes.

Um levantamento feito pela consultoria inglesa Tecmark mostra que as pessoas pegam em média 221 vezes por dia só nos smartphones. Já o número de toques diários no aparelho pode chegar a 2.600, segundo a empresa de pesquisa Dscout Research.

Muita gente tem noção do vício em smartphone, mas não consegue quantificar. Se transformarmos ações subjetivas em objetivas podemos controlar melhor nossas práticas.

Por isso, limite o horário de uso e lembre-se: a tecnologia deve facilitar a nossa vida, e se isso não está acontecendo é porque estamos fazendo o uso equivocado.

Não é porque você olha seu smartphone que é um procrastinador

Não há nada de errado em ficar uma hora no celular — desde que isso seja feito de forma consciente, sem sentimento de culpa. Isso vale não apenas em relação aos smartphones, mas para qualquer outra atividade que não seja o seu trabalho.

Vivo reforçando a importância e necessidade de descompressão. Quem me acompanha no Instagram, por exemplo, sabe que durante o meu dia tenho momentos de descompressão com meu filho e não há problema nisso.

Sentado com meu filho Lucas no colo, lendo o livro "O Pequeno Príncipe"

Ter momentos como Lucas ao longo do dia fortalece minha relação com ele e me permite voltar ao trabalho com ainda mais foco – Fonte: Acervo Pessoal Rodrigo Barreto

Pode não parecer, mas a procrastinação é uma área de conforto. A sensação de incômodo surge porque sabemos que o impacto será negativo, mas na realidade, naquele momento, o procrastinador tem uma impressão de bem-estar.

Se você souber planejar seu tempo e entender que em algum momento do dia você pode sim mexer no celular, assistir a uma série ou fazer algo que goste, pode ter certeza que sua produtividade aumentará.

4 dicas que também podem lhe ajudar a ser mais produtivo e procrastinar menos

  1. Divida o trabalho/estudo em pequenas tarefas – Se você cria etapas fica mais fácil visualizar o progresso do trabalho, evitando a sobrecarga. Você pode ainda pensar em recompensas para cada fase concluída. Extra:  deixe as partes mais complexas para o horário em que se considera mais produtivo.
  2. Tire os alertas e sons dos aparelhos – Muitas vezes estamos concentrados e um simples alerta de mensagem ou e-mail atrapalha o nosso foco. Deixe o ambiente de trabalho com o mínimo de distrações possível. Escolha momentos específicos para verificar essas mensagens.
  3. Use aplicativos, sim, mas com cautela  –  Há aplicativos que te ajudam a organizar as atividades do dia-a-dia, seja com agendas e listas, ou bloqueadores de aplicativos. Existem ainda opções para controlar o tempo que você passa no celular. Já falei sobre alguns apps aqui.
  4. Evite fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo – Muitas vezes nos vemos ocupados com mais de uma atividade e acabamos sem sair do lugar! Quanto mais informações, menos capacidade de concentração. Ser uma pessoa multitarefa pode atrasar nossos planos, por isso precisamos organizar bem a nossa rotina, determinando metas e listando prioridades.

Não deixe que seu cérebro fique acostumado com “depois eu termino” ou “é só uma olhadinha”. Tenha controle do seu tempo e saiba parar nas horas certas para ter mais produtividade e qualidade de vida.

Como você busca manter o foco durante sua rotina para não procrastinar? Ficou com dúvidas e quer saber mais? Entre em contato agora mesmo!